Imagem capa - Registro Documental Família Frazão por daniel saeta

Registro Documental Família Frazão

Qual a concepção para ter uma criação perfeita para o seu filho? Qual a forma correta de educar e desenvolver uma pessoa? Talvez se você procurar no Google deva achar inúmeras, mas de certo nenhuma regra absoluta.
A única coisa que eu tenho certeza é que deve haver amor e carinho. E isso eu percebi de sobra nessa família que eu fiz o registro documental - que inclusive foi uma experiência indescritível pra mim - nesse último mês.
De longe não é uma família perfeita, até porque essa não existe, salvo comercial de margarina kkkk!!!
O Ricardo e Layla têm um cuidado, uma atenção com a pequena deles que eu fiquei admirado de presenciar, é o carinho nos detalhes.
Vou dividir com vocês uma pouco da experiência.
Cheguei na casa deles na parte da manhã, e a Helena - a pequena deles - estava toda empolgada, fiz alguns registro até para ela se habituar com a câmera - é aquele momento em que você não faz a foto pela foto e sim para quebrar o gelo - de início ela ficou meio receosa e curiosa com aquele trambolho apontada para ela.
Algumas brincadeiras pela casa e umas conversas com a família e o tempo já passou. Depois dessa primeira parte chegou a hora do almoço, sentados à mesa Helena fez sua oração e partiu para o papá. E como eu falei antes, o carinho também estava presente junto conosco na mesa, e o carinho não se demonstra só com atos de amor, mas também com cuidados. Os pais estavam sempre atentos para corrigir e educar.
Mais algumas conversas e outros cliques, e outras conversas e mais cliques. Eis que chega a hora do biscoito. Um momento especial naquela família, algo normal pra eles - talvez eles nem se deem conta - mas para mim que estava com um olhar de fora, era encantador estar dentro daquele momento em que houve a pura demonstração de carinho nos pequenos atos. Eles se permitem viver aquele momento, eles estão ali um curtindo a presença do outro.
Toda essa experiência me fez perceber o privilégio que eu tenho em fazer esse tipo de registro de família. Nada contra fotos de famílias posadas, com todo mundo arrumado e com uma belíssima paisagem de fundo.
Mas poder retratar o amor com o DNA de cada família é incrível.
Então aí me veio uma questão, onde mora o amor?
Mora nos pequenos gestos e naquilo que tem significado e valor pra você. Ele mora no apelido que só a sua família te chama, ele mora no biscoito amanteigado feito na bagunça da sua cozinha e com o sabor de lar, ele mora no cheirinho na testa. Ou seja, ele mora com as melhores lembranças.